777, Entre o Céu e a Terra

É um romance de ficção cristão sobre pessoas escolhidas por Deus para um propósito especial. Para isto receberão dons nunca antes concedidos a nenhum ser humano. Tudo se passa numa época próxima ao arrebatamento. Nesta jornada eles irão enfrentar batalhas contra forças do inimigo, e contra si mesmos, e suas vidas nunca mais serão as mesmas...

Capítulo 1

14 de nov de 2009

Era uma noite fria, típica daquela estação do ano, pastor Daniel folhava sua bíblia vagarosamente, olhos fitos nas pequenas letras. Mas aquelas palavras ainda ecoavam em seu pensamento, teria sido uma peça pregada por sua mente? Ou teria Deus falado mesmo com ele? Se fosse, teria sido a primeira vez, pois Deus nunca havia falado daquela forma com ele antes. Foi tão nítido, como uma voz dentro da sua mente, como um pensamento que não era seu, era real, vivo, até mesmo assustador. Mas nada fazia sentido, ia contra tudo o que ele havia aprendido e pregado durante toda a sua vida. Ele sabia que Deus havia feito grandes coisas nos tempos bíblicos, mas não hoje, pois em sua opinião as coisas não funcionavam mais daquela forma. 
Ele olhou para o relógio na parede e viu que já passavam das 23 horas, então se dirigiu ao seu quarto para dormir, pois o dia seguinte seria bastante cheio.
Enquanto Mauro corria por aquela rua escura, em sua perseguição vinha um homem trajando uma roupa escura. Cada vez que ele olhava para traz o homem estava mais perto, e ele não conseguia entender, pois mesmo estando apenas caminhando o homem se deslocava muito rápido, chegando cada vez mais perto, apesar de Mauro estar correndo tanto quanto suas pernas conseguiam. Então ele se desequilibrou e caiu. Logo após a queda ele abriu seus olhos e aquele homem estava bem na sua frente, perto o suficiente para que fosse possível ver seu rosto. Seus olhos eram negros e suas pupilas como luzes vermelhas muito escuras e quase sem brilho. O lugar estava pouco iluminado por uma luz vinda de uma lâmpada perto dali, e por isto quase não era possível distinguir a fisionomia daquele ser, mas era possível sentir que havia muita raiva no seu olhar. Então o homem apontou seu longo e enrugado dedo na direção de Mauro, e bradou em voz grave e muito nítida: 
- Aquelas vidas são minhas, e quem tentar tirá-las de mim pagará um alto preço, então desista enquanto há tempo. 
O pavor de Mauro foi tão grande que seu corpo estremeceu. Então ele ouviu uma voz que parecia vir de dentro do seu coração dizendo: 
- Meu filho, não tenha medo, levante-se e o enfrente, o que você precisa para vencer, eu já coloquei dentro de você.
Então Mauro acordou bruscamente com um salto, seu corpo estava dolorido e cansado como se tivesse feito grande esforço físico. Ele se recostou na cama e as lembranças do pesadelo começaram a brotar em sua mente, era tudo muito estranho, as recordações eram tão reais que ele quase não conseguia distinguir se teria sido apenas um pesadelo ou teria acontecido de verdade, ainda mais por causa das dores e do cansaço. Seu movimento brusco acabou despertando sua esposa que ao encontrá-lo encostado na cama lhe perguntou o que havia acontecido, mas ele se limitou a dizer que teve um sonho ruim e voltou a deitar para dormir um pouco mais, pois eram apenas quatro horas da manhã e seu compromisso com Israel seria às dez horas.
Era um lindo e ensolarado sábado, apesar de estar bastante frio. Mauro saiu mais cedo, pois sua esposa havia lhe pedido que passasse no supermercado para comprar algumas coisas antes de seu compromisso. Ele entrou no supermercado e começou a procurar o corredor onde estavam as mercadorias que desejava, demorou um pouco para encontrar porque não estava familiarizado com supermercados. Ao adentrar o primeiro corredor, o mesmo estava vazio, pois era bastante cedo. Então ele correu o olhar por toda extensão das prateleiras na tentativa de localizar o que procurava, e ao encontrar se dirigiu até o local, então esticou sua mão para alcançar o objeto, mas ao puxá-lo seu braço bateu em um recipiente de vidro que começou a cair. Numa fração de segundos Mauro olhou para o vidro caindo e esticou sua mão na tentativa de pegá-lo, desejando que não batesse no chão para não quebrar-se em centenas de pedaços, mas algo surreal ocorreu, a queda foi interrompida e o objeto parou no ar a poucos centímetros do chão, como que flutuando no ar. Ele olhou rapidamente a sua volta e viu que o corredor ainda permanecia vazio, e neste momento a queda se completou e o objeto bateu no chão, mas não se quebrou. Mauro então esticou a mão, pegou o objeto, colocou-o de volta na prateleira e tratou de sair rápido dali.
No caminho até a igreja o episódio do supermercado não lhe abandonava o pensamento, mil coisas lhe vinham à mente, ele estava quase fora da realidade quando foi trazido de volta a consciência pela buzina de outro automóvel que vinha em sua direção, Mauro não havia percebido que no seu quase transe havia invadido a outra pista e trafegava na contra-mão. Então num ato de puro reflexo puxou o volante e colocou novamente seu carro na pista correta, o susto foi tão grande que ele teve de estacionar um pouco para retomar o fôlego, seu coração batia muito forte, quase saltando de dentro do peito.
Ao chegar à igreja ele estacionou o carro e se dirigiu a sala aonde iria encontra-se com Israel para conversar sobre o novo projeto em que estavam trabalhando.
Israel estava sentado aguardando seu amigo, e ao ver o rosto de Mauro ficou muito preocupado e perguntou: 
- O que houve? Você está tão pálido. 
Então Mauro respondeu:
- Meu amigo, você não vai acreditar o que aconteceu. Então lhe contou sobre o sonho ruim, o episódio do supermercado e sobre o “quase acidente” no caminho até a igreja.
Depois de ouvir todos os relatos que Mauro havia lhe contado, Israel colocou sua mão nas costas de Mauro e com um olhar zombador e ao mesmo tempo fraterno deu uma grande risada e disse:
- Mauro, estes filmes de ficção e os livros de ex-bruxos estão afetando a sua mente meu amigo. Mas, vamos agora voltar ao mundo real e conversar sobre nosso projeto porque há muita coisa a fazer.


Continua...

0 comentários:

Postar um comentário